Caramuru e O Uraguai – mais um material de estudos

Olá pessoas,

Enquanto vou preparando alguns posts com gabaritos, comentários de questões e dicas para os estudos de nossa próxima avaliação, vou aproveitar para postar um que pode ser bem interessante para vocês. Eu montei um resumo detalhado de Caramuru e um resumo de O Uraguai por cantos. Evidentemente, a leitura deste resumo NUNCA substituirá a leitura da obra. Nunca será a mesma coisa, ler um resumo e ler a obra literária. Entretanto, como estes são poemas particularmente difíceis para os leitores iniciantes, é interessante tomar contato com eles primeiro por esta via.

Caramuru, em si, é uma leitura que eu não recomendo. A obra, no panteão do que se produziu na literatura nacional, ocupa uma posição secundária. Sua importância histórica mesmo é a digestão que os autores do Romantismo fizeram do índio “branqueado” por Santa Rita Durão na figura de Paraguaçu e de Gupeva. Eles me lembram muito a Iracema e o Peri de Alencar — com a IMENSA diferença de que Alencar tinha técnica e talento. Santa Rita Durão, coitado, só tinha técnica.

O Uraguai é uma obra que eu já recomendo — é bem mais interessante e bem resolvida que Caramuru (e com o detalhe de ter sido publicada antes do texto de Santa Rita Durão). Não significa que o leitor iniciante nos estudos de literatura não tenha vontade, nela, de pular páginas e que não fique sem entender várias passagens. O que acontece é que é uma leitura mais instigante e mais “realizável”. Há passagens que realmente tiram o fôlego, e não falo apenas da morte de Lindoia, de que tanto se comenta. Pra mim, a grande passagem de O Uraguai é a morte de Sepé. Se lida adequadamente e em voz alta — acredite, ler em voz alta faz TODA diferença, em qualquer leitura — o texto parece uma cena de filme de ação dos bons.

Por sinal, fica aqui uma dica interessante. Quando você estiver diante daquele livro que caiu na parte chata, sem graça, que dá vontade de jogar o coitado pela janela, pare, respire fundo, pegue uma garrafa de água bem geladinha, beba uns bons goles e leia em voz alta. Preste atenção no ritmo que as palavras devem ter, procure as entonações adequadas para a voz do narrador e dos personagens. Provavelmente o texto vai mudar muito para você. Parafraseando o poeta amazonense Thiago de Mello: o que existe não é um novo livro, mas um novo jeito de ler.

Bom, já estoiu me alongando muito. Clique aqui, baixe os resumos e bons estudos!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s