Dante’s Inferno no Observatório Wookie

Que eu sou estranha e tenho gostos estranhíssimos ninguém tem mais muita dúvida. Mas será que você sabe o que estudar no CAC (Centro de Artes e Comunicação da UFPE, onde fica o Departamento de Letras – também conhecido popularmente pela alcunha de Centro de Aids e Contaminação ou Centro das Abomináveis Criaturas, como incrivelmente não nos lembra a Desciclopédia. Alguém precisa inaugurar o verbete do CAC!) pode fazer com alguém que já tem tendência a viagens literárias e nerdísticas?

Comigo o que aconteceu foi eu encontrar com criaturas mais doidinhas do que eu. E uma delas é meu grande, grande, grande amigo, parceirão, Bruno Piffardini. O Bruninho foi meu grande companheiro nos tempos da federal. Junto tivemos papos loucos inesquecíveis regados a lanche no Beloto (piada interna que só quem estudou no pólo CAC, CFCH – Centro de Filosofia, e CE – Centro de Educação vai entender) e a guerras de sabre de luz (leia lanterna de celular Nokia) no leitorado (leia biblioteca) de inglês.

Faz um tempinho, Bruno, que é poeta e compõe com Wellington (esse mesmo que está linkado aí de lado, uma figura conhecida da maioria de vocês :P) o Urros Masculinos, reativou sua vida de blogueiro com o Observatório Wookiee.

Eu ia ficar calada aqui sobre o Observatório. Mas não deu, não aguentei. Não depois do post super-hiper-ultra-hihlevel-nerd-power dele sobre literatura e videogame, motivado pelo lançamento de Dante’s Inferno.

Eu confesso que já tinha visto umas manchetes no Omelete sobre o game. Mas não dei bola. Eu jurava que era qualquer coisa menos o que realmente o título sugere: a viagemàs profundezas infernais feita por Dante, personagem do poema épico A Divina Comédia – do italiano Dante Alighieri (não, o nome não é coincidência, o texto afirma uma experiência espiritual que teria sido vivida pelo autor).

É claro que muita coisa tem que mudar do livro para o game. Afinal, a personagem Beatriz, que foi no game sequestrada para o inferno pelo capeta em pessoa, está em todo livro muito bem guardada no céu (é que Dante no livro faz um turismo básico: ele passeia pelo inferno, pelo purgatório e vai até o céu, onde encontra com Beatriz). Clichê básico: pra que Dante voltaria ao inferno, afinal? Em todo game tem que ter um mocinha para ser salva né?

Bom, o fato é que o game tá aí e parece ser interessante. E Bruno teve um monte de ideias interessantíssimas e altamente nerds junto com o game. E ironias a parte, né que bem conduzidas e eivados os clichês excessivos, muita coisa poderia ser aproveitada MESMO? A ideia dele sobre o Hamlet eu AMEI.

Você é uma criatura “altamente” nerd e ficou curiosa com o jogo e com as ideias do Bruno? Você é uma criatura curiosa por vida é tá se coçando para olhar que é a figura que é amigo quase-de-infância da sua professora doida (e do seu professor-poeta doido)? Você é tão viciado quanto eu em Star Wars e quer descobrir que daria ao seu blog o nome de Observatório Wookiee? Clique aqui e leia o texto do Bruno sobre Dante’s Inferno. Ah, a cara é de Wookiee, mas ele não morde, tá?

Beijinhos proceis, pessoas!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s